Carta Aberta sobre o 14º Intereclesial

Em.mo e Rev.mo Cardeal Dom Sérgio da Rocha, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Ex.mo e Rev.mo Dom Giovanni d’Aniello, núncio apostólico no Brasil

Ex.mo e Rev.mo Dom Geremias Steinmetz, arcebispo da Igreja católica em Londrina

Os fiéis leigos têm o direito de expor, com amor, reverência e liberdade, a sua opinião sobre os assuntos que dizem respeito ao bem da Igreja (cf. Conc. Vaticano II, const. dogm. Lumen Gentium, n. 37, e Código de Direito Canônico, cân. 212, parágrafos 2 e 3). Confiados nisso, neste Ano Nacional do Laicato, vimos manifestar nossa preocupação e angústia com os membros do clero e da hierarquia eclesiástica que, por suas palavras e ações, parecem favorecer a ideologia do comunismo que, segundo palavras literais do papa Francisco, foi responsável pelo «extermínio de milhões de pessoas» (encíclica Laudato sì, n. 104).

Entristece-nos profundamente ver a Igreja de Cristo ser em nosso País infiltrada e manipulada por políticos, entre eles alguns condenados criminalmente pela Justiça, a fim de se alcançar objetivos partidários escusos, contrários à moral e à doutrina social católica.

Como é sabido, o comunismo pretende fundamentar-se na filosofia marxista ou materialismo histórico, que além de rejeitar a dimensão espiritual do ser humano, concebendo o universo e o homem somente segundo suas expressões materiais, faz da luta de classes o motor da história, o que promove a discórdia e o ódio entre as classes e as pessoas. O princípio marxista da luta de classes é radicalmente oposto ao princípio católico da solidariedade, pilar da doutrina social da Igreja e aplicação da virtude teologal da caridade no plano social. Por conseguinte, como o marxismo é uma ideologia de ódio, ele é francamente incompatível com o cristianismo, que é uma doutrina de amor.

O que mais aumentou nossa aflição foi o 14o Intereclesial das CEB’s, evento realizado entre os dias 24 e 27 de janeiro deste ano, sob a égide da arquidiocese de Londrina. No desenrolar do referido evento, várias coisas aconteceram de modo a escandalizar os fiéis, como Frei Betto falando com todas as sílabas que “Jesus não veio fundar uma Igreja, nem fundar uma religião”, frase indiscutivelmente herética, visto que contrária ao nono artigo do Credo: Creio na santa Igreja católica. Como pôde o senhor arcebispo de Londrina permitir, num evento realizado sob sua proteção, que viesse um Frei Betto solapar a fé dos católicos? No mesmo discurso, Frei Betto indiretamente igualou o ex-presidente Lula a Jesus Cristo, ao comparar o programa Fome Zero ao milagre bíblico da multiplicação dos pães. Aliás, no evento também se constatou uma paródia da via sacra, em que se fazia propaganda do PT e dos ex-presidentes Lula e Dilma.

Outra coisa que causou escândalo no 14o Intereclesial foi a distribuição da cartilha CEB’s e os Desafios no Mundo Urbano – Reflexões temáticas, que trazia uma análise de conjuntura totalmente baseada na ideologia marxista. A referida cartilha blasfemamente igualava o Reino de Deus à utopia comunista. Conforme o Catecismo da Igreja Católica: «Esta impostura anticrística já se esboça no mundo toda vez que se pretende realizar na história a esperança messiânica que só pode realizar-se para além dela por meio do juízo escatológico: mesmo na sua forma mitigada, a Igreja rejeitou esta falsificação do Reino vindouro sob o nome de milenarismo, sobretudo sob a forma política de um messianismo secularizado, intrinsecamente perverso» (n. 676).

Por tudo o que acabamos de expor, protestamos publicamente contra os escândalos ocorridos no 14o Intereclesial e solicitamos às autoridades eclesiásticas competentes que desautorizem a cartilha CEB’s e os Desafios no Mundo Urbano, distribuída no mesmo evento, por basear-se em pressupostos marxistas, absolutamente estranhos ao pensamento da Igreja, e por promover uma “impostura anticrística”, de acordo com a doutrina do Catecismo de S. João Paulo II.


Rodrigo R. Pedroso, advogado, São Paulo – SP

Comments

comments

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

2 thoughts on “Carta Aberta sobre o 14º Intereclesial

  1. Daniel 30/01/2018 / 19:16

    Olá Fernando, boa tarde.
    Gostaria de saber a fonte desta notícia (Carta Aberta sobre o 14º Intereclesial) para que eu possa divulgar aos meus contatos.
    Muito obrigado.

    • Fernando Kanizawa 31/01/2018 / 10:31

      Daniel, bom dia!
      Essa carta foi escrita por Rodrigo R. Pedroso, que é um advogado de São Paulo-SP.
      Eu a recebi de uma magistrada, que por ocasião, pelo menos até o presente momento, não posso divulgar o nome, ou melhor, não tenho autorização.
      Mas está circulando no WhatsApp desde a data do evento em questão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *