Deus escolhe os fracos para confundir os fortes

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

 “Ouvindo-os, Jesus replicou: Os são não precisam de médico, mas os enfermos; não vim chamar os justos, mas os pecadores.” São Marcos 2, 17

A passagem do Santo Evangelho nos leva a refletir a nossa vida de comunidade e o servir a Deus. Nosso Senhor vem dizer que veio para os doentes e não para os sãos. Nossas comunidades são grandes hospitais espirituais. Assim como um hospital físico, há pessoas com doenças com menos gravidade e outras com mais gravidade, no entanto, todas precisam de atendimento, de cura.

Não é difícil encontrar pessoas em nosso dia a dia que se dizem cristãs, que tinham vida de comunidade e que num determinado momento da vida se afastaram por decepção com irmãos e irmãs de caminhada. Um termo muito comum em nosso meio é o “gente de Igreja” e como é complicado o tal “gente de Igreja”, às vezes a convivência com pessoas de vida religiosa e caminhada é mais complicada do que com pessoas pagãs. Mas como bem diz Jesus, são pessoas doentes! Certo eu que vos escrevo também sou um doente e preciso muito do médico dos médicos.

Essa dificuldade de convivência não é novidade, tanto é que São Paulo nos exorta em Efésios 4, 2-3 “com toda a humildade e amabilidade, com grandeza de alma, suportando-vos mutuamente com caridade. Sede solícitos em conservar a unidade do corpo e um vínculo de paz.” Quando vamos meditar essa passagem e vemos a palavra “suportai-vos” já entendemos que não será algo necessariamente fácil. Portanto tenha paciência e sabedoria, afinal você pode ser o “suportai-vos” do irmão ou da irmã de caminhada.

Mas como nos hospitais físicos, uma hora se tem alta médica. Só que no hospital espiritual, após dessa alta nós precisamos ajudar os demais a se curar também, ajudar a cicatrizar suas feridas. Estamos em campanha! Estamos em batalha, o próprio São Paulo nos alerta Efésios 6, 12 “Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e as potestades, contra os príncipes desse mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal espalhadas os ares.” Estamos em batalha! Estamos sendo atacados.

Talvez hoje seja uma crise pastoral a falta de servos em nossas comunidades, servos realmente compromissados com a Igreja e com o único propósito de levar a palavra de Jesus a mais pessoas possíveis. Às vezes, a pessoa até se cura no nosso hospital espiritual, mas depois não ajuda a resgatar mais irmãos.

Precisamos de pessoas curadas! Pessoas que humildemente saibam reconhecer suas fraquezas e limitações e verdadeiramente se entregarem a Deus.

Deus podia muito bem escolher só os justos e os justos sim resgatar os pecados correto? Teoricamente seria mais fácil! Mas não, Deus escolhe os pecadores. Mas por quê? Porque Deus curar você antes, Deus quer capacitar você antes, Deus quer confundir o inimigo.

Deus escolhe os fracos para confundir os fortes, conforme 1 Coríntios 1, 27-29 “O que é estulto no mundo, Deus escolheu para confundir os fortes; e o que é vil e desprezível no mundo, Deus escolheu para também aquelas coisas que nada são, para destruir as que são. Assim, nenhuma criatura se vangloriará diante de Deus.”

Mas agora você pode estar pensando: “então tá tudo certo! Sou pecador, sou fraco, logo sou escolhido e esta tudo resolvido!” Não é bem assim meu irmão e minha irmã! Como disse, Deus escolheu os pecadores para antes poder curá-lo e salva-lo. Inclusive, para servir de testemunho para os demais, afinal, testemunhos arrastam como se diz em nossas comunidades.

A conversão de São Paulo é um grande exemplo! Muitos cristãos acham que São Paulo foi contemporâneo de Jesus, mas não! Paulo perseguia os cristãos e no caminho para Damasco encontrou Jesus anos depois de sua morte, ressurreição e ascensão aos céus. Podemos ver isso em Atos 9, 3-6 “Durante a viagem, estando já perto de Damasco, subitamente o cercou uma luz resplandecente vinda do céu. Caindo por terra, ouviu uma vez lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Saulo disse: Quem és Senhor? Respondeu ele: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro te é recalcitrar contra o aguilhão. Então, trêmulo e atônito, disse ele: Senhor, que queres que eu faça? Respondeu-lhe o Senhor: Levanta-te, entra na cidade, Ai te será dito o que deves fazer.”

Ainda no capítulo nove, um pouco mais a frente vemos o poder da oração de imposição de mãos feita por Ananias com a autoridade da Igreja e depois Saulo se fortalece na Eucaristia, conforme Atos 9, 17-19 “Ananias foi. Entrou na casa de impondo-lhe as mãos, disse: Saulo, meu irmão, o Senhor Jesus que te apareceu no caminho, enviou-me para que recobres a vista e fiques cheio do Espírito Santo. No mesmo instante, caíram dos olhos de Saulo umas como que escamas, e recuperou a vista. Levantou-se e foi batizado. Depois tomou alimento e sentiu-se fortalecido.”
Saulo torna-se Paulo, o apóstolo Paulo e após o seu encontro com Cristo, o perdão, a cura e fortalecimento na Eucaristia iniciou seu ministério! E seu ministério foi muito frutuoso, o Apóstolo Paulo foi quem escreveu boa parte no novo testamento. São Paulo, de perseguidor de cristãos, se torna um dos pilares da fé cristã.

Outro exemplo de perdão, cura e mudança de vida que nos chama a atenção é da história de Maria Madalena narrada em São Lucas 8, 1-2 “Depois disso, Jesus andava pelas cidades e aldeias anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus. Os Doze estavam com ele, como também algumas mulheres que tenham sido livradas de espíritos malignos e curadas de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios.”

A Bíblia não relata muitos detalhes da vida de Maria Madalena, que inclusive por engano muitos vinculam a figura de Maria Madalena a da mulher adúltera que foi salva por Jesus narrado em São João 8, 1-11. Mas entende-se que Maria Madalena deveria ter padecido em decorrência de pecados, pois estava com espíritos imundos e na passagem acima também é narrado que além da expulsão dos espíritos imundos também foi curada de enfermidades.

O que nós sabemos de Maria Madalena é que após essa cura e libertação, houve uma mudança sincera de vida. Maria Madalena acompanhava Jesus e os apóstolos. Ou seja, Maria Madalena se pôs a serviço de Deus após sua recuperação.

Maria Madalena teve uma mudança tão profunda em sua vida e uma entrega tão grande pelo servir a Deus, que é uma das poucas pessoas que ficam com Jesus no Calvário, como podemos ver em São Marcos 15, 40 “Achavam-se ali também umas mulheres, observando de longe, entre elas as quais Maria Madalena, Maria mãe de Tiago, o Menor, e de José, e Salomé.”

Maria Madalena tinha uma vida de serviço a Deus e tinha uma vida de penitência e oração. Maria Madalena mesmo com Jesus morto, foi logo cedo ao sepulcro, quando ainda estava escuro conforme podemos ver em São João 20, 1 “No primeiro dia que se seguida ao sábado, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manhã cedo, quando ainda estava escuro. Viu a pedra removida do sepulcro.” Portanto, Maria Madalena ao local onde estava Jesus e certamente ali faria suas orações logo nas primeiras horas.

Maria Madalena foi também a primeira pessoa a ver Jesus ressuscitado. Analisemos a profundidade disso, na época de Jesus a sociedade era muito machista, mas no caso de Maria Madalena, uma mulher que tinha espíritos imundos, portanto, uma pecadora perdoada e curada que viria a se tornar seguidora de Cristo, uma leiga, foi a primeira a contemplar o Cristo ressuscitado.

Agora pense comigo, o anúncio da ressurreição de Cristo não começou com um apóstolo, mas sim, com uma leiga curada e exorcizada, convertida ao cristianismo, seguidora de Cristo. Que realmente mudou de vida, se entregou completamente a obra do Senhor.

Talvez você que chegou leu até aqui tenha essa vontade de servir a Cristo, tenha no fundo do coração uma vontade de servir na sua comunidade, mas não serve por se achar indigno ou indigna. De certo modo, isso é uma verdade! Pois não somos dignos de tamanha honra. Mas Deus quis que fosse assim, quis escolher os fracos, os esquecidos, os deixados de lado, os pecadores para testemunhar e para servir.

Mas antes entrar nessa batalha, você primeiro precisa se curar e se recuperar. Assim como aconteceu com São Paulo tirando as escamas da cegueira espiritual dos olhos, se fortalecendo na Eucaristia e de Maria Madalena, antes possuída por sete espíritos imundos foi curada e restaurada pôs-se ao serviço de Deus. Ambos antes de suas conversões, rejeitados e no caso de São Paulo pode-se dizer até odiado, mas depois de curados se colocaram a serviço do Senhor e até hoje, vemos que os exemplos deles ajudam muitos cristãos em sua caminhada.
E é isso que Cristo quer fazer contigo! Quer primeiro curar suas feridas, exorcizar seus demônios e no nada fazer tudo. Basta realmente nos entregarmos a Cristo e mudarmos de vida, abandonar o pecado, deixarmos para trás a vida antiga.

Se for refletir sobre a ascensão de Cristo aos céus, podemos pensar: “Mas por que Cristo não subiu aos céus em meio a todos em Jerusalém? Por que Cristo não apareceu depois ter ressuscitado em público em Jerusalém?” Porque Cristo se revela a quem o busca de verdade, a quem tem intimidade com Ele.  Os apóstolos tinham intimidade com Cristo e por isso puderam vê-lo, conversaram e até comeram com Cristo e depois, presenciaram a Sua ressurreição.
Assim como Maria Madalena que amava a Cristo de verdade! E por isso, mudou de vida! E por isso buscava no Senhor na madrugada e antes morada de espíritos imundos foi a primeira ver Cristo ressuscitado.

Meu irmão e minha irmã, hoje talvez seja a oportunidade de mudar de vida! De deixar para trás as coisas antigas, o pecado e buscar fervorosamente a presença de Cristo. Entregando suas mazelas e o seu nada e deles Jesus Cristo fazer novas todas as coisas.


Paz e bem!

Fernando Y. Kanizawa
[email protected]

CAMINHO SAGRADO
www.caminhosagrado.com
www.facebook.com/caminhosagradoweb
@jesusmariajosek
www.instagram.com/caminhosagradodosenhor

Comments

comments

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *