O que é Purgatório? É bíblico?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Purgatorio e Biblico

Infelizmente fala-se muito pouco do Purgatório em pregações e encontros realizados por nós, ao passo também que a idéia de Purgatório é contestada pelos irmãos protestantes. Mas vamos entender um pouco mais sobre a doutrina da Igreja Católica.
O pecado gera duas coisas, a culpa e a conseqüências. A culpa é perdoada por Deus através do Sacramento da Confissão (conforme São João 20, 23 Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos), no entanto a pena permanece, ou seja, a conseqüência do pecado. Vamos pegar o exemplo de quando uma pessoa assassina a outra, e que essa pessoa tenha o perdão dos familiares da vítima e até de Deus, mas a conseqüência, ou seja, a pena fica. Ela, mesmo com o perdão, terá que responder perante a justiça.
Assim é o pecado, temos o perdão, mas as penas continuam. Inclusive o pecado original narrado em Gênesis 3, 16-19 “Disse também à mulher: Multiplicarei os sofrimentos de teu parto; darás à luz com dores, teus desejos te impelirão para o teu marido e tu estarás sob o seu domínio.” E disse em seguida ao homem: “Porque ouviste a voz de tua mulher e comeste do fruto da árvore que eu te havia proibido comer, maldita seja a terra por tua causa. Tirarás dela com trabalhos penosos o teu sustento todos os dias de tua vida. Ela te produzirá espinhos e abrolhos, e tu comerás a erva da terra. Comerás o teu pão com o suor do teu rosto, até que voltes à terra de que foste tirado; porque és pó, e pó te hás de tornar”, onde temos o perdão Deus através do Sacramento do Batismo, mas as conseqüências ficam, ou seja, temos as tribulações desses mundos, mesmo com o perdão.1 Corintios 3 15
Nós pagamos com as penas de nossos pecados nessa vida, com nossas penitências e mortificações ou então, se morrermos em estado de graça, ou seja, sem nenhum pecado mortal confessado, vamos para o local chamado Purgatório, onde iremos pagar nossas penas temporais.
Ao contrário do que muitos dizem, o Purgatório tem fundamentação bíblica, como podemos ver em 1 Coríntios 3, 15 “Se pegar fogo, arcará com os danos. Ele será salvo, porém passando de alguma maneira através do fogo” e também no Santo Evangelho segundo São Mateus 5, 25-26 “Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás em caminho com ele, para que não suceda que te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao seu ministro e sejas posto em prisão. Em verdade te digo: dali não sairás antes de teres pago o último centavo”. A Igreja entende que seja um local temporário, pois como a própria Bíblia diz, o fogo do inferno é inextinguível, conforme São Lucas 3, 17 “Ele tem a pá na mão e limpará a sua eira, e recolherá o trigo ao seu celeiro, mas queimará as palhas num fogo inextinguível”, em São Mateus 3, 12 “Tem na mão a pá, limpará sua eira e recolherá o trigo ao celeiro. As palhas, porém, queimá-las-á num fogo inextinguível” e também em São Marcos 9, 43 “Se a tua mão for para ti ocasião de queda, corta-a; melhor te é entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para a Geena, para o fogo inextinguível”.
A alma, quando condenada, é uma condenação eterna, não há volta, não é uma pena temporária como podemos ver em 2 Tessalonicenses 1, 8-9 “por entre chamas de fogo, para fazer justiça àqueles que não reconhecem a Deus e aos que não obedecem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus. Eles sofrerão como castigo a perdição eterna, longe da face do Senhor, e da sua suprema glória”.
Bom, mas não tem na Bíblia o nome “Purgatório”, pois bem, esse nome foi criado pela Igreja, para facilitar o entendimento dos fiéis. Na Bíblia também não tem o nomes como “Bíblia” e “Trindade”, mas são nomes utilizados, criados para facilitar o entendimento.
Por mais que tenhamos uma vida de santidade, retidão e busca sincera de Deus, se refletirmos com sinceridade e humildade, não estamos em condições de estar face a face com Jesus, com nosso Deus, pois a Santidade de Deus é algo imenso, incompreensível a inteligência humana, podemos ver em várias passagens bíblicas como, por exemplo, Isaías 6, 3 “Suas vozes se revezavam e diziam: Santo, santo, santo é o Senhor Deus do universo! A terra inteira proclama a sua glória!” e também no livro do Apocalipse 4, 8 “Estes Animais tinham cada um seis asas cobertas de olhos por dentro e por fora. Não cessavam de clamar dia e noite: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Dominador, o que é, o que era e o que deve voltar”.
O Purgatório é essa fase transitória da nossa vida terrena, para a vida na Presença de Deus, portanto, a alma que esta no Purgatório só tem um destino, o céu. Ela esta em estado de santificação para poder estar na Presença de Deus.
Por isso rezamos as Missas para as almas do Purgatório, para nossos entes queridos, pois a Santa Missa em memória do falecido além de ajudar a abreviar esse período, é um refrigério do fogo do Purgatório (conforme 1 Co 3, 15 e Mt 5, 25-26).
Nossos irmãos protestantes questionam muito a oração pelos mortos, dizem não ser bíblico, no entanto é bíblico sim! Está em um livro que não tem na Bíblia protestante, pois a Bíblia protestante tem 7 livros a menos que a Bíblia Católica está no livro de 2 Macabeus 12, 42-46 “e puseram-se em oração, para implorar-lhe o perdão completo do pecado cometido. O nobre Judas falou à multidão, exortando-a a evitar qualquer transgressão, ao ver diante dos olhos o mal que havia sucedido aos que foram mortos por causa dos pecados. Em seguida, fez uma coleta, enviando a Jerusalém cerca de dez mil dracmas, para que se oferecesse um sacrifício pelos pecados: belo e santo modo de agir, decorrente de sua crença na ressurreição, porque, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. Mas, se ele acreditava que uma bela recompensa aguarda os que morrem piedosamente, era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas”.
Portanto meu irmão e minha irmã, o Purgatório não é uma invenção da Igreja Católica Apostólica Romana e tão pouco uma heresia, é sim, uma realidade de nossa fé, evidenciada nas Escrituras Sagradas.


A Paz!

Fernando Y. Kanizawa
[email protected]

CAMINHO SAGRADO
www.caminhosagrado.com
www.facebook.com/caminhosagradoweb
@jesusmariajosek
www.instagram.com/caminhosagradodosenhor

Mateus 5 25-26 Purgatorio

Comments

comments

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *