Sete lições de humildade da Sagrada Família

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Quando meditamos a vida de Jesus e da Sagrada Família, percebe-se uma constância em tudo que fazem e essa constância é a obediência. A obediência é uma virtude agradável a Deus, o próprio Senhor Jesus foi obediente até a morte, conforme Filipenses 2, 8 “E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.”

Deus quer que seja obediente, mas não uma obediência cega e irracional, mas sim, uma obediência inteligente e livre. Nós temos que sentir a responsabilidade de ajudar os outros com a luz de nosso entendimento. Mas antes de tudo, devemos ser sinceros com conosco mesmo! Devemos examinar se estamos sendo deixado ser conduzidos pelo amor a verdade ou pelo apego de nossos próprios critérios.

No livro de Glória Polo, “O livro da vida! Da ilusão a verdade” narra  seu testemunho de vida e o grave acidente que teve, um raio que caiu sobre ela. Ela esteve entre a vida e a morte, Deus a deu uma graça extraordinária de ver o inferno, o purgatório e o céu, onde foi julgada. O livro é muito interessante, essa edição é autorizada no Brasil e a Igreja diz ser digno de fé.

Em certo momento em que ela narra seu julgamento perante o Senhor, ela diz que era católica e que ajudava os outros, no entanto, Jesus a mostrou que só ajudava para mostrar as demais pessoas, para ser chamada de boa pessoa e de santa. Até porque, ajudar as pessoas com dinheiro, não era exatamente um sacrifício para ela, já que gozava de ótima condição financeira. Recomendo a leitura desse livro.

Talvez a história de Glória Polo não seja só ela, mas seja também a minha e a sua. Que realmente sejamos humildes e obedientes a Deus por puro amor, assim como foi a Sagrada Família de Nazaré.

A soberba não vem de Deus, sabemos quem caiu pela soberba foi Lúcifer, o próprio Satanás e por isso, a soberba é algo que lhe é muito próprio e muito lhe agrada. Na Bíblia, a soberba é tida como um vício detestável, conforme São Tiago 4, 16 “Mas agora vós vos jactais das vossas presunções. Toda jactância desse gênero é viciosa.” Na tradução da editora Ave Maria foi utilizar o verbo “jactar”, que significa orgulho excessivo.

Sejamos humildes para assim, sermos obedientes a Deus, obedientes verdadeiramente, conforme Romanos 12, 16 “Vivei em boa harmonia uns com os outros. Não vos deixeis levar pelo gosto da grandeza; afeiçoai-vos com as coisas modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos.”

Jesus e a Sagrada Família nos dão grandes lições de humildade, as vidas de Jesus, Maria e José foram marcadas pela humildade e obediência a Deus, se formos elencar todos os exemplos, certamente um único artigo não daria, mas elenquei sete exemplos que podem nos ajudar na nossa caminhada. Vejamos um a um.

1-    Nossa Senhora visita sua prima, Santa Isabel (São Lucas 1, 39-56)

Nesse acontecimento, podemos ver a humildade de Maria e a urgência de levar Jesus as demais pessoas. Maria estava no início da gravidez e quem acompanhou uma mulher grávida ou então, já esteve grávida sabe como são é comum o mal estar nessa fase. O corpo da mulher passa por grandes mudanças hormonais para que o corpo de mulher não expulse a criança do ventre, já que se não houver tais mudanças o organismo da mulher pode reconhecer ser um corpo estranho e causar um aborto espontâneo.

Mas Nossa Mãe, Maria Santíssima, além de ser a grande serva e saber da urgência de se levar Jesus, foi ajudar sua prima, também grávida, próxima de dar a luz. Maria foi levar Jesus e ao mesmo tempo servir sua prima com trabalhos domésticos, mesmo grávida.

Que lição de humildade! Maria podia ter pensado “estou grávida do próprio Deus, não preciso disso”, mas não, Maria foi e pôs-se em serviço.

2-    Apresentação do menino Jesus no Templo (São Lucas 2, 21-40)

A apresentação no templo era uma prescrição da lei do Senhor, conforme Êxodo 13, 2 “Todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor”, e para isso era oferecido um par rolas ou dois pombinhos.

José e Maria podiam ter pensado “estamos com Jesus, o Messias e por isso, não precisamos nos submeter à religião alguma, afinal estamos com o Salvador.” Mas não, se submeteu a lei judaica, se submeteu a religião! Não foram soberbos!

Como hoje é tão comum, as pessoas terem a soberba e não obedecerem a preceitos, a religião, dizem não ser necessário. O pensamento protestanizado que toma conta cada vez mais de nossa sociedade, o relativismo religioso tem feito grandes estragos. Muitos não mais participam dos sacramentos, especialmente da confissão, pois segundo eles não precisam se submeter a ninguém.  Não precisa se submeter à religião nenhuma! Até mesmo a interpretação bíblica fica condicionada a sua mera interpretação pessoal isolada, ignora-se o magistério e a tradição da Igreja.

Todos os sacramentos, inclusive a confissão foi instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo e em São Tiago é confirmado que devemos confessar nossos pecados, conforme São Tiago 5, 16 “Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orais uns pelos outros para serdes curados.”

A interpretação bíblica pessoal, como muitos defendem não é amparada pela própria Bíblia, conforme 2 São Pedro 1, 20-21 “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus.”

Esta faltando muita humildade nesse sentido a nós, especialmente com esse pensamento anti-católico que domina cada vez mais a nossa sociedade. Alguns justificam esse pensamento, por conta dos escândalos que às vezes aparece com alguns ministros da Igreja, mas o próprio Cristo nos alerta a isso em São Lucas 17, 1 “É impossível que não haja escândalos, mas ai daquele por quem eles vêm!”

A Sagrada Família não ficou questionando, se o velho Simeão tinha ou não uma vida reta para apresentar Jesus, apenas foi e cumpriu o preceito, se submeteu a religião.

3-    Batismo de Jesus (São Mateus 3, 13-17)

Mais uma vez, Jesus, o próprio Deus encarnado, o Nosso Salvador se submete a alguém. É batizado por João Batista, seu primo! O próprio João Batista se recusava se achava indigno, conforme São Mateus 3, 14 “João recusava-se: Eu devo ser batizado por ti e tu vens a mim!”
João Batista um pouco antes do encontro com Jesus já dizia não ser digno de carregar os calçados, conforme São Mateus 3, 11 “Eu vos batizo com água, em sinal de penitência, mas aquele que virá depois de mim é mais poderoso do que eu e nem sou digno de carregar seus calçados.”

Imagine só, um Deus se submeter a uma criatura, a um de seus profetas para ser batizado.
Podemos ver também nas escrituras, que Jesus era submisso a José e Maria, podemos ver isso em São Lucas 3, 51 “Sem seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso. Sua mãe guardava todas essas coisas em seu coração.”

4-    Primeiro milagre de Jesus em Caná por intercessão de Nossa Senhora (São João 2, 1-12)

Na época de Jesus, nas festas homens e mulheres não freqüentavam o mesmo ambiente, homens ficavam separados das mulheres. Por isso, nessa passagem, entende-se que Maria chegou muito antes na festa de casamento e que estava servindo na festa. Já que teve acesso ao ambiente em que os homens estavam para dizer a Jesus que faltava vinho, conforme São João 2, 3 “Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: Eles já não têm vinho.”
Mais um grande exemplo de Nossa Mãe, Nossa Senhora que estava servindo na festa de casamento. A Mãe de Nosso Senhor e Nossa Mãe estava servindo e não sendo servida.
Nossa Senhora passe a frente de nossas dificuldades, passai a frente em nossas tristezas e angústias!

5-    Jesus pernoita na casa de Zaqueu (São Lucas 19, 1-10)

Jesus sempre teve predileção pelos piores, excluídos e pelos pecadores. Isso o próprio Jesus diz em São Mateus 9, 12 “Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes.”

Portanto meu irmão e minha irmã, se por um acaso você serve a Deus em algum ministério, em alguma comunidade não se julgue melhor que ninguém, como muitos se acham! Se for escolhido é porque é mais indigno e pecador, é um doente espiritual, não é melhor que ninguém!

Zaqueu era um homem muito rico, no entanto, uma pessoa que usava de sua autoridade e prestígio para cobrar além do que era devido, não era um homem justo! Jesus podia ter escolhido tantos outros lugares para pernoitar, mas escolheu a casa de um pecador. As pessoas começavam a questionar sobre isso, conforme São Lucas 19, 7 “Vendo isso, todos murmuravam e diziam: Ele vai hospedar-se em casa de um pecador.”

A lição de humildade de nosso Deus, pois sendo puro hospedou-se na casa de um pecador, uma pessoa mal quista pela sociedade da época. Sua humildade gerou frutos, salvou uma família, salvou a família de Zaqueu, conforme São Lucas 19, 9 “Disse-lhe Jesus: Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto também este é filho de Abraão.”

6-    Jesus lava os pés de seus discípulos (São João 13, 1-20)

Jesus muito mais que falou, Ele fazia! Ele dava exemplo do que fazer e como fazer, assim foi quando lavou os pés de seus discípulos. Após lavar os pés de seus discípulos Jesus diz para fazermos igual, conforme São João 13, 14 “Logo, se eu, Vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés vós deveis lavar-vos os pés uns dos outros.”

O fato de lavar os pés, especialmente na época de Jesus tem um significado ainda mais de humildade, pois nessa época não haviam calçados fechados e limpos como são hoje. As sandálias eram feitas de couro, abertas e o banho não era diário como é hoje. Andavam por dias pisando em sujeira, poeira e suando, portanto a chance dos pés dos discípulos estarem muito sujos e mal cheirosos era muito grande.

Também não existiam podólogos e nem talco anti-séptico, ou seja, realmente lavar os pés de alguma pessoa era um grande ato de humildade.

7-    Morte de Jesus (São Mateus 26 e 27)

O mistério da Paixão de Cristo inteira é o maior exemplo de humildade e obediência! Em tempos que cada vez mais no meio cristão cresce o número de hereges, que segundo eles, determinam isso ou determinam aquilo, sendo que nem mesmo Nosso Deus, Nosso Senhor e Salvador teve esse tipo de oração, podemos ver em São Mateus 26, 39 “Adiantou-se um pouco e, prostrando-se com face por terra, assim rezou: Meu Pai se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia, não se faça o que eu quero, mas sim o que tu queres.”

Jesus foi obediente ao Pai até a morte, conforme  Filipenses 2, 8 “E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.”

Fez isso tudo para nos salvar! Por amor! Por misericórdia!

Mesmo sabendo que seria humilhado, brutalmente castigado e morto Ele foi obediente, conforme São Lucas 9, 22 “É necessário que o Filho do Homem padeça muitas coisas, seja rejeitado pelos anciãos, pelos príncipes dos sacerdotes pelos escribas. É necessário que seja levado a morte e que ressuscite ao terceiro dia.”

Sigamos os exemplos da Jesus e da Sagrada Família em nossa caminhada, sejamos mais humildes e obedientes e nos gloriamos menos. Às vezes até achando ser melhor que as outras pessoas.

Jesus manso e humildade de coração fazei do nosso coração semelhante ao vosso!


A Paz!

Fernando Y. Kanizawa
[email protected]

CAMINHO SAGRADO
www.caminhosagrado.com
www.facebook.com/caminhosagradoweb
@jesusmariajosek
www.instagram.com/caminhosagradodosenhor

Comments

comments

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *