A Santa Missa e sua forma ativa na vida do fiel

“Nesse mesmo dia, dois discípulos caminhavam para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém sessenta estádios. Iam falando um com o outro de tudo o que se tinha passado. Enquanto iam conversando e discorrendo entre si, o mesmo Jesus aproximou-se deles e caminhava com eles. Mas os olhos estavam-lhes como que vendados e não o reconheceram. Perguntou-lhes, então: De que estais falando pelo caminho, e por que estais tristes? Um deles, chamado Cléofas, respondeu-lhe: És tu acaso o único forasteiro em Jerusalém que não sabe o que nela aconteceu estes dias? Perguntou-lhes ele: Que foi? Disseram: A respeito de Jesus de Nazaré… Era um profeta poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo. Os nossos sumos sacerdotes e os nossos magistrados o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. Nós esperávamos que fosse ele quem havia de restaurar Israel e agora, além de tudo isto, é hoje o terceiro dia que essas coisas sucederam. É verdade que algumas mulheres dentre nós nos alarmaram. Elas foram ao sepulcro, antes do nascer do sol; e não tendo achado o seu corpo, voltaram, dizendo que tiveram uma visão de anjos, os quais asseguravam que está vivo. Alguns dos nossos foram ao sepulcro e acharam assim como as mulheres tinham dito, mas a ele mesmo não viram. 25. Jesus lhes disse: Ó gente sem inteligência! Como sois tardos de coração para crerdes em tudo o que anunciaram os profetas! Porventura não era necessário que Cristo sofresse essas coisas e assim entrasse na sua glória? E começando por Moisés, percorrendo todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava dito em todas as Escrituras. Aproximaram-se da aldeia para onde iam e ele fez como se quisesse passar adiante. Mas eles forçaram-no a parar: Fica conosco, já é tarde e já declina o dia. Entrou então com eles. Aconteceu que, estando sentado conjuntamente à mesa, ele tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e serviu-lho. Então se lhes abriram os olhos e o reconheceram… mas ele desapareceu. Diziam então um para o outro: Não se nos abrasava o coração, quando ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras? Levantaram-se na mesma hora e voltaram a Jerusalém. Aí acharam reunidos os Onze e os que com eles estavam. Todos diziam: O Senhor ressuscitou verdadeiramente e apareceu a Simão. Eles, por sua parte, contaram o que lhes havia acontecido no caminho e como o tinham reconhecido ao partir o pão.” São Lucas 24, 13-35

Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Deus escolhe os fracos para confundir os fortes

 “Ouvindo-os, Jesus replicou: Os são não precisam de médico, mas os enfermos; não vim chamar os justos, mas os pecadores.” São Marcos 2, 17

A passagem do Santo Evangelho nos leva a refletir a nossa vida de comunidade e o servir a Deus. Nosso Senhor vem dizer que veio para os doentes e não para os sãos. Nossas comunidades são grandes hospitais espirituais. Assim como um hospital físico, há pessoas com doenças com menos gravidade e outras com mais gravidade, no entanto, todas precisam de atendimento, de cura. Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

4 motivos para você ser dizimista

Falar em dízimos e ofertas para muitos padres pode ser complicado em decorrência dos mal entendidos, exageros e claro, pela má intenção de alguns, que se valem da influência que têm e tiram vantagem dos fiéis mais desavisados. Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Sete lições de humildade da Sagrada Família

Quando meditamos a vida de Jesus e da Sagrada Família, percebe-se uma constância em tudo que fazem e essa constância é a obediência. A obediência é uma virtude agradável a Deus, o próprio Senhor Jesus foi obediente até a morte, conforme Filipenses 2, 8 “E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

Cruz não é maldição, cruz é vitória e ressurreição

O conceito errado de idolatria que tanto é e foi difundido, envolve também até o fato de termos um crucifixo em nossas casas e empresas. Contudo, primeiro precisamos entender verdadeiramente o que é idolatria. Idolatria é tudo aquilo que esta no lugar de Deus ou entre Deus e nós. O simples fato de termos uma imagem de Maria Santíssima ou de algum santo ou mesmo um crucifixo não se caracteriza idolatria.

Temos muitos falsos deuses, ou seja, algo que esta no lugar que deveria ser ocupado somente por Deus! Podemos pegar, por exemplo, o dinheiro e o poder são “deuses” cultuados com cada vez mais força. Muitas pessoas não medem esforços para agradar esses deuses e os buscam a todo custo. Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner

O duro combate contra a tentação

Todos nós temos um inimigo em comum, o próprio Satanás. A Bíblia diz que ele é o homicida desde o princípio, conforme São João 8, 44 “Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque a verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” Continue reading

Cadastre seu e-mail para receber nossas publicações:

Delivered by FeedBurner